Criando um Sistema Inclusivo de Saúde Mental

May 12, 2021
Family Support
Education
Health and Mental Care
Two males and four females are smiling together

https://www.cscbroward.org/news/creating-inclusive-mental-health-systemCommission on Behavioral Health & Drug Prevention (Comissão de Saúde Comportamental e Prevenção Contra Drogas) da United Way of Broward County

Em quase todas as esquinas do condado de Broward você ouve línguas e sotaques de uma comunidade diversa de pessoas. É uma constatação bonita de que o condado de Broward é composto de um grupo diverso de indivíduos e famílias, cujas origens e descendências abrangem todo o mundo e que se integraram na estrutura da comunidade, aprimorando todos os aspectos da nossa maneira de viver. As refeições que comemos, os esportes que assistimos e até mesmo como cumprimentamos os colegas no escritório. Somos afetados pelo ambiente e pelas pessoas ao nosso redor em tudo que fazemos, e, em parte, também em nossa saúde mental.

“Muito da teoria e da prática da saúde mental, incluindo a psiquiatria e a psicologia tradicional, surgiu das tradições culturais e dos conhecimentos ocidentais da condição humana (Frontiers of Public Health, 2018).” Mas, considerando-se que a condição humana é variada e diversa, os tratamentos que utilizamos para abordar as necessidades da saúde mental de nossa comunidade não deveriam refletir este fato? Embora existam teorias e modelos integrados de intervenções para a abordagem de questões da saúde mental, é imperativo que também levemos em consideração as abordagens e diferenças culturais refletidas por nossa comunidade. É igualmente importante que abordemos o estigma das doenças mentais que prevalece em muitas culturas e evita que inúmeros indivíduos busquem a ajuda profissional que necessitam pelo medo de como serão vistos ou a discriminação potencial que possam enfrentar.

Nosso bem-estar mental é o resultado de uma combinação complexa de experiências vividas, ambiente e “condições ocorridas em áreas biológicas, psicológicas-individuais e estruturais” (Commonwealth Department of Health and Aged Care, 2000). Gerações de americanos criaram uma América melhor, seja através da revolução industrial ou da explosão da internet nos anos 90. E agora, necessitamos desesperadamente de uma reforma do sistema de saúde mental americano. Precisamos implementar uma abordagem multidisciplinar utilizando ferramentas tecnológicas não apenas para abordar o estigma, mas também para incrementar o acesso e a participação nos serviços. As considerações culturais devem ser levadas em conta ao tratar-se das necessidades das populações especiais e minoridades étnicas.

Ao abordar os problemas relacionados à saúde mental de nossa comunidade, um aspecto importante é o aprendizado socioemocional que desempenha um papel crítico na educação infantil. Fornecer à mente das crianças pequenas as ferramentas e a linguagem não apenas para expressar suas emoções de maneira saudável, mas também a linguagem correta para compartilhar com os adultos em sua vida a maneira como realmente se sentem. Acreditamos que as intervenções indicadas, seletivas e universais baseadas em evidência devem levar em consideração a idade, o sexo, a raça e as necessidades étnicas. Além disso, os serviços clínicos e o suporte de pares utilizados em nossa comunidade precisam refletir a sensibilidade cultural ao abordar as necessidades das populações diversas que atendem. A sensibilidade cultural é um passo acima da competência cultural e apela às organizações para que tenham a humildade de reconhecer que não podem ser verdadeiramente competentes em todas as questões ao trabalhar com várias minorias étnicas. Porém, é imperativo que sejamos sensíveis a como os indivíduos são influenciados e afetados por suas origens culturais, especialmente na abordagem relativa à saúde mental. E que nós criemos um espaço seguro para que se sintam aceitos enquanto atendemos suas necessidades clínicas individuais. Tratando-se de terapias, não existe um modelo que se aplique a todos; e os tratamentos devem ser ajustados e adaptados para melhor servir todos os grupos de indivíduos.

Finalmente, precisamos abordar a discrepância de recursos que existe em nosso sistema de saúde comportamental. Isto não apenas para garantir que a qualidade de nossos serviços de saúde mental reflita a humanidade em todos nós, mas que aqueles que escolheram este campo para curar mentes e almas sejam capazes de sustentar-se e sustentar suas famílias. A disparidade de recursos também existe em relação às oportunidades de desenvolvimento profissional para os funcionários de provedores de serviços. Historicamente, os orçamentos organizacionais não refletem a necessidade de desenvolvimento profissional e treinamento contínuo, o que contribui para a inabilidade dos funcionários de obterem preparo educacional adicional e potencial certificação. Todos esses fatores colaboram para a eficácia do trabalho que fornecem. Já sabemos que a pobreza contribui para doenças mentais como a ansiedade e/ou a depressão, sendo assim os níveis de nosso salário deveriam ser um reconhecimento direto desse fator. Embora aqueles que optaram por trabalhar como provedores de serviços de saúde mental afirmem que não ingressaram nesta carreira com a esperança de enriquecerem, a renda limitada pode causar tensão na saúde mental de um indivíduo afetando a eficácia do trabalho que realiza.

Temos mais trabalho para fazer

Para mais informações, visite UnitedWayBroward.org.

English: https://www.cscbroward.org/news/creating-inclusive-mental-health-system

Español: Crear un Sistema de Salud Mental Inclusivo

Kreyól: Monte yon sistèm swen sante mantal ki travay pou tout moun

Share this post

Learn More About CSC Broward

Accessibility Statement

Our organization provides leadership, advocacy and resources to enhance the lives of the children of Broward County and empower them to become responsible, productive adults.

Stay Connected