Quando o Mau Comportamento é na Verdade uma Necessidade Sensorial

August 6, 2018
Disability Services
News

Stacy Kramer, gerente do departamento de terapia, Broward Children’s Center

Imagine estar parado em um canteiro no meio de uma via expressa. É hora do rush e os carros passam correndo ao seu redor, em todas as direções. Você ouve o ruído estrondoso dos motores e das buzinas e sente o cheiro do escape dos carros, e até uma lufada de ar na pele quando os carros passam voando. É muita estimulação para ser processada por seu cérebro, fazendo com que você se sinta ansioso ou até mesmo atemorizado, estressado e em seu limite. 

Felizmente, porém, como adulto, você entende as regras da estrada. Saber que o tráfego flui em padrões previsíveis é confortante – no mínimo você pode prever as próximas sensações. Uma criança que não conhece estas regras e padrões, contudo, veria o tráfego fluindo em todas as direções possíveis, sem poder pôr ordem no caos reinante. 

Uma criança sob este tipo de pressão não está em um estado de espírito que permita aprender matemática, leitura ou redação. Estaria mais tentada a correr do que pronta para aprender. Mas esta é a condição na qual muitas de nossas crianças se encontram quando se pede a elas que sentem sem se movimentar, que quem quietas e que ouçam. Embora estejam sentadas em uma típica sala de aula, para algumas crianças as sensações do dia a dia podem ser ameaçadoras, caóticas e tão perturbadoras quanto o tráfego de uma via expressa. 

O processamento sensorial se refere à maneira em que nosso cérebro recebe as mensagens vindas de nossos sentidos e as organiza em uma resposta motor ou comportamental apropriada. É um processo complicado, e como todos os processos complicados, existe uma grande possibilidade de erros. O transtorno do processamento sensorial pode ocorrer juntamente com qualquer ferimento, disfunção ou distúrbio cerebral. Não existe um consenso claro sobre quantas crianças são afetadas por este transtorno, mas estima-se que no mínimo 1 em 6 indivíduos são impactados de in certa maneira. Os níveis de severidade podem variar de muito leve até completamente debilitante. 

Muitos dos sinais e sintomas do transtorno de processamento sensorial são facilmente confundidos com mau comportamento. Por exemplo, uma criança que parece não sentar quieta, pode necessitar de informações constantes de movimento para se sentir confortável e alerta. Uma criança que toca incessantemente outras pessoas e objetos pode precisar usar seu sentido tátil para organizar seu espaço. Uma criança que parece nunca parar de cantarolar ou fazer outros ruídos pode estar tentando ignorar sons que a deixam amedrontada ou ansiosa. 

Frequentemente, os comportamentos que as crianças parecem não poder evitar ou interromper, apesar de pedidos e lembretes repetidos, têm como base uma necessidade sensorial que a criança não pode controlar. 

Veja abaixo uma lista parcial de alguns dos indicadores do transtorno de processamento sensorial. Algumas pessoas podem apresentar apenas um ou dois dos sintomas, enquanto outras podem apresentar vários. Os sinais do transtorno de processamento sensorial podem também surgir inconsistentemente – algo que o indivíduo afetado tolera facilmente um dia, parece extremamente perturbador em outra ocasião. 

Entre os indicadores estão: 

  • Reação emocional ou de medo a certos ruídos 

  • Muito exigente para comer 

  • Dificuldade de car sentado sem movimentar-se 
  • Tendência a tropeçar e cair frequentemente ou bater nas coisas ao redor 
  • Tendência a procurar brincadeiras bruscas ou muito animadas 
  • Força excessiva ou falta de força quando toca pessoas ou objetos 
  • Evita tocar materiais sujos ou desorganizados 
  • Explosões emocionais imprevisíveis 
  • Dificuldade de se recuperar quando ca perturbado 
  • Usar apenas determinadas roupas ou sapatos
  • Dificuldade de afastar-se de rotinas familiares ou de tolerar mudanças de planos 
  • Não olhar ou continuar olhando diretamente nos olhos
  • Inabilidade de julgar espaço ou limites pessoais 

O transtorno do processamento sensorial afeta pessoas de todas as idades e todas as habilidades. É uma condição neurológica, signiflcando um reflexo da maneira como o cérebro está conectado. O mais importante a ser feito para ajudar um indivíduo com transtorno do processamento sensorial é aumentar a conscientização e o conhecimento da doença. Muitas crianças ouvem repetidamente que “apenas precisam tentar com mais vontade” na escola quando, de fato, estão fazendo o melhor que podem para enfrentar um ambiente para o qual seu cérebro não está bem equipado para controlar. 

Se você suspeita que um ente querido seja portador do transtorno do processamento sensorial, um terapeuta ocupacional pode ajudar a definir o problema e delinear uma abordagem de tratamento. Embora cada pessoa portadora do transtorno seja diferente, é provável que uma característica que todos os indivíduos afetados têm em comum é que não percebem o mundo da maneira esperada, e precisam de nosso apoio e compreensão para ajudá-los a enfrentar um mundo que frequentemente parece imprevisível e assustador. 

 

Stacy Kramer, MS, OTR/L, é atualmente gerente do departamento de terapia do Broward Children’s Center, uma organização sem fins lucrativos que oferece terapia para crianças com necessidades especiais da pré-escola, elementary school e também tratamento ambulatorial. Para contatar Stacy envie um e-mail para stacyk@bcckids.org. 

Referências: 
Sensory Over-Responsivity in Elementary School: Prevalence and Social-Emotional Correlates A. Ben-Sasson & A. S. Carter & M. J. Briggs-Gowan (Processamento sensorial hiperresponsivo na elementary school: prevalência e correlação socioemocional, A. Ben-Sasson, A. S. Carter e M. J. Briggs-Gowan) 

Journal of Abnormal Child Psychology 2009 (Publicação da Psicologia da Criança Anormal 2009) 
Acesse o link: 
https://www.spdstar.org/sites/default/files/publications/SensoryOverResponsivityinElementary.PDF 

Share this post

Learn More About CSC Broward

Accessibility Statement

Our organization provides leadership, advocacy and resources to enhance the lives of the children of Broward County and empower them to become responsible, productive adults.

Stay Connected

Find A Program That Fits Your Needs

SNAC (Special Needs Advisory Coalition) | Children's Services Council of Broward County
954-377-1667

The Children’s Services Council has been at the forefront in funding programming for children and youth with physical, developmental or behavioral health needs since its inception. In 2004, the Council commissioned Broward County’s Business Plan for Children with Special Needs which became the impetus for establishing a stakeholder group known as the Special Needs Advisory Coalition (SNAC). The SNAC has been instrumental in advocating for system improvements and reducing service gaps.

Primary POC: Marissa Aquino | maquino@cscbroward.org

2-1-1 Broward General Hotline | 2-1-1 Broward
2-1-1 or 954-537-0211

2-1-1 Broward, an information & referral line, provides a 24-hour, comprehensive help line and support service for individuals seeking crisis intervention assistance and/or information and referrals to health and human services in Broward County. An impressive database of information is used to provide community callers with current, relevant information regarding a wide variety of services within the community. All calls are toll-free, confidential and anonymous from anywhere in Broward County.

Capacity Building Mini Grants | Children's Services Council of Broward County
954-377-1000

Infrastructure building support is provided to local child and family serving nonprofit organizations through our annual Capacity Buildings Mini Grants. Through a competitive grant process, local organizations are awarded funding for capacity building projects, professional business coaching and or fundraising support each year.

Primary POC: Adamma DuCille | aducille@cscbroward.org

Cribs for Kids | Heathy Mothers, Healthy Babies Coalition of Broward County
954-765-0550

In 2003, the American Academy of Pediatrics (AAP) published a report that estimated that the risk of infant suffocation increases 20-fold when infants and adults sleep in the same bed. Cribs for Kids provides low-income families with free GRACO Pack ‘n Play® cribs, one crib sheet, and a safe-sleep sack, and counsels parents on the dangers of co-sleeping.

Primary POC: Ashley Sturm | asturm@hmhbbroward.org | 954-765-0550 ext. 339

CSC Sponsored Trainings | Children's Services Council of Broward County
954-377-1000

The CSC offers quality and affordable training workshops for professionals serving children and families in Broward County. Each session is led by instructors that are highly qualified and experienced in their field to provide an optimal learning environment. CEU’s are also offered for many of the completed courses. For a training calendar and to register, please visit our website at training.cscbroward.org.

Primary POC: Adamma DuCille | aducille@cscbroward.org

Drowning Prevention | Florida Department of Health in Broward County
954-467-4700

Drowning Prevention is a collaborative community effort driven by the Drowning Prevention Task Force. In 2009, the Children’s Services Council allocated funding to support a full-time coordinator housed at the Broward County Health Department who provides insight and accountability for the implementation of the Drowning Prevention Action Plan.
Task Force members create a culture throughout Broward that infuses drowning prevention methodologies, practices, and messages that directly impact families with young children.

Early Literacy Interventions | Reading & Math, Inc.
786-347-3667

Reading & Math, Inc., through a partnership with Broward County Public Schools, is implementing the Reading Corps program in Broward County. Florida Reading Corps tutors serve Broward County’s most at-risk students with targeted early literacy interventions. Reading Corps screens all students at designated schools to identify children who are behind on early literacy skills, and develop individualized tutoring plans to meet each child’s needs.

The Faces of CSC

The greatest tool you can give a child is the ability to persuade and speak with confidence. Being that my YIG experience positively impacted my emotional literacy skills, I would like to pass these on to those who are less fortunate.
"This program has touched me and made a difference in my life."
"I will be the first to say, Youth in Government should be a part of every teenager's life, because I know without it I wouldn't be the person I am."
Close